Escolha uma Página

Abstinência e neutralidade na psicanálise winnicottiana

Resumo

Abstinência e neutralidade são dois conceitos fundamentais da psicanálise, que visam a criar um espaço terapêutico seguro e propício à investigação da vida psíquica do paciente. Para Winnicott, esses conceitos são fundamentais para a criação de um ambiente holding, que é um espaço seguro e acolhedor onde o paciente pode se sentir livre para explorar sua subjetividade.

Introdução

A psicanálise é uma abordagem terapêutica que visa compreender e tratar os transtornos psíquicos. Ela se baseia na teoria de Sigmund Freud, que postula que a mente humana é composta por três instâncias psíquicas: o id, o ego e o superego. O id é a instância psíquica mais primitiva, responsável pelos impulsos e desejos inconscientes. O ego é a instância psíquica intermediária, responsável por mediar entre os impulsos do id e as demandas da realidade. O superego é a instância psíquica responsável pela moral e pela consciência.

Sabendo disso, a psicanálise é um processo longo e complexo, que requer a participação ativa do paciente e do analista. O analista é um profissional treinado para auxiliar o paciente a compreender sua própria mente e a lidar com seus conflitos psíquicos.

Abstinência

A abstinência é um dos conceitos fundamentais da psicanálise. Ela se refere à postura do analista de não atender às demandas ou desejos do paciente, sejam eles de natureza emocional, física ou material. Isso inclui, por exemplo, não fornecer conselhos, não se envolver em relações afetivas com o paciente e não aceitar presentes ou favores.

A abstinência visa a criar um espaço terapêutico neutro e imparcial, onde o paciente possa se sentir livre para explorar sua subjetividade sem a interferência do analista.

Neutralidade

A neutralidade é outro conceito fundamental da psicanálise. Ela se refere à postura do analista de não se posicionar subjetivamente em relação ao paciente, ou seja, de não expressar suas opiniões, crenças ou sentimentos pessoais. Isso visa evitar que o analista influencie o processo analítico, que deve ser conduzido pelo paciente.

A neutralidade permite que o analista se concentre na experiência do paciente, sem projetar suas próprias experiências e fantasias. Isso ajuda o paciente a desenvolver sua própria capacidade de pensar e sentir, sem depender da aprovação ou julgamento do analista.

Winnicott e a abstinência e a neutralidade

Donald Winnicott foi um psicanalista britânico que desenvolveu uma teoria da personalidade que enfatiza a importância do ambiente no desenvolvimento psicológico do indivíduo. Compreendendo os conceitos anteriores, afirma-se que, para Winnicott, a abstinência e a neutralidade são fundamentais para a criação de um ambiente holding, que é um espaço seguro e acolhedor onde o paciente pode se sentir livre para explorar sua subjetividade.

Winnicott acreditava que, para o paciente se desenvolver psicologicamente, ele precisa de um ambiente que lhe ofereça segurança e estabilidade. O analista, ao abster-se de atender às demandas do paciente, cria um espaço onde o paciente pode experimentar a frustração e a ansiedade, mas também a confiança de que o analista estará lá para ele, mesmo quando ele não for perfeito.

A neutralidade, por sua vez, permite que o analista se concentre na experiência do paciente, sem projetar suas próprias experiências e fantasias. Isso ajuda o paciente a desenvolver sua própria capacidade de pensar e sentir, sem depender da aprovação ou julgamento do analista.

Conclusão

Abstinência e neutralidade são ferramentas que permitem ao analista criar um ambiente terapêutico seguro e propício ao crescimento psicológico do paciente. Para Winnicott, esses conceitos são fundamentais para a criação de um ambiente holding, onde o paciente pode se sentir livre para explorar sua subjetividade.

Visite nosso blog: www.exitopsicologia.com.br/blog

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Precisa de ajuda? Fale com a Êxito